PIB varia 0,1% no 3º trimestre de 2023

O Gestor

PIB varia 0,1% no 3º trimestre de 2023

O Produto Interno Bruto (PIB) variou 0,1% no terceiro trimestre de 2023 (frente ao segundo trimestre deste ano), na série com ajuste sazonal. Frente ao mesmo trimestre de 2022, o PIB cresceu 2,0%. No acumulado nos quatro trimestres, terminados em setembro de 2023, o PIB cresceu 3,1%, frente aos quatro trimestres imediatamente anteriores. O acumulado do ano foi de 3,2% frente ao mesmo período de 2022. 

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.











Período de comparaçãoIndicadores
PIBAGROINDUSSERVFBCFCONS. FAMCONS. GOV
Trimestre / trimestre imediatamente anterior (com ajuste sazonal)0,1%-3,3%0,6%0,6%-2,5%1,1%0,5%
Trimestre / mesmo trimestre do ano anterior (sem ajuste sazonal)2,0%8,8%1,0%1,8%-6,8%3,3%0,8%
Acumulado em quatro trimestres / mesmo período do ano anterior (sem ajuste sazonal)3,1%14,4%2,0%2,8%-1,1%3,7%1,0%
Valores correntes no 3º trimestre (R$)2,7 trilhões154,0 bilhões621,6 bilhões1,6 trilhão455,0 bilhões1,7 trilhão479,7 bilhões
Taxa de investimento (FBCF/PIB) no 3° trimestre de 2023 = 16,6%
Taxa de poupança (POUP/PIB) no  3º trimestre de 2023 = 15,7%

Em valores correntes, o PIB no terceiro trimestre de 2023 totalizou R$ 2,741 trilhões, sendo R$ 2,387 trilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) a preços básicos e R$ 353,8 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. 

No terceiro trimestre de 2023, a taxa de investimento foi de 16,6% do PIB, uma queda frente ao mesmo período de 2022 (18,3%). Já a taxa de poupança foi de 15,7%, inferior à do terceiro trimestre do ano passado (16,3%).  










Principais resultados do PIB – do 3º trimestre de 2022 ao 3º trimestre de 2023 (%)
Taxas (%)2022.III2022.IV2023.I2023.II2023.III
Acumulado ao longo do ano / mesmo período do ano anterior3,13,04,23,83,2
Últimos quatro trimestres / quatro trimestres imediatamente anteriores2,73,03,73,73,1
Trimestre / mesmo trimestre do ano anterior4,32,74,23,52,0
Trimestre / trimestre imediatamente anterior (com ajuste sazonal)1,1-0,11,41,00,1
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Contas Nacionais

PIB varia 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior

O PIB variou 0,1% frente ao terceiro trimestre contra o segundo trimestre deste ano, na série com ajuste sazonal. Tanto os Serviços quanto a Indústria avançaram 0,6% nessa comparação, enquanto a Agropecuária recuou 3,3%.

Nas atividades industriais, houve variações positivas das Indústrias extrativas (0,1%) e das Indústrias de transformação (0,1%). Já a atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos cresceu 3,6% e a Construção recuou 3,8%.

Entre as atividades dos Serviços, houve variação positiva em: Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (1,3%), Atividades imobiliárias (1,3%), Informação e comunicação (1,0%), Outras atividades de serviços (0,5%), Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (0,4%) e Comércio (0,3%). Por outro lado, a atividade de Transporte, armazenagem e correio recuou 0,9%.

Pela ótica da despesa, a Formação Bruta de Capital Fixo caiu 2,5% frente ao trimestre anterior. A Despesa de Consumo das Famílias subiu 1,1% e a Despesa de Consumo do Governo variou 0,5%. No setor externo, enquanto as Exportações de Bens e Serviços avançaram 3,0%, as Importações de Bens e Serviços recuaram 2,1% em relação ao segundo trimestre de 2023.

PIB cresce 2,0% frente ao 3º trimestre do ano passado

Quando comparado a igual período do ano anterior, o PIB apresentou crescimento de 2,0% no terceiro trimestre de 2023. A alta do Valor Adicionado a preços básicos foi de 2,1% e dos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios foi de 1,2%.

A Agropecuária cresceu 8,8% em relação a igual período de 2022, principalmente com o desempenho de alguns produtos da lavoura que possuem safra relevante no terceiro trimestre, tais como: milho (19,5%), cana-de-açúcar (13,1%), algodão herbáceo (12,5%) e café (6,9%). Também houve contribuição positiva das estimativas para a Pecuária no período analisado.

A Indústria registrou alta de 1,0%. Dentre suas atividades, o melhor resultado veio de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (7,3%), favorecida pelo maior consumo de eletricidade, principalmente residencial, e pelas bandeiras verdes do ano. As Indústrias extrativas também cresceram (7,2%) por conta da alta da extração de petróleo e gás. Já a Construção recuou (-4,5%) no período.

Essa queda é explicada pelas retrações da ocupação e da produção dos insumos típicos dessa atividade. Também houve queda das Indústrias de transformação (-1,5%), cujo resultado foi influenciado, principalmente, pela retração da máquinas e equipamentos, produtos químicos, indústria automotiva e metalurgia.

O valor adicionado de Serviços subiu 1,8% frente ao mesmo período de 2022, com destaque para a alta de Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (7,0%). Também tiveram altas: Atividades imobiliárias (3,6%), Informação e comunicação (1,6%), Transporte, armazenagem e correio (1,6%), Outras atividades de serviços (1,1%), Comércio (0,7%) e Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (0,4%).

Pela ótica da demanda, a Despesa de Consumo das Famílias registrou crescimento de 3,3%, influenciado pelos auxílios governamentais às famílias e pela melhora no mercado de trabalho. A Despesa de Consumo do Governo cresceu 0,8% no período. A Formação Bruta de Capital Fixo recuou 6,8% no terceiro trimestre de 2023, justificada pela queda na produção interna de bens de capital, construção e na importação de bens de capital.

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços subiram 10,0%, enquanto as Importações de Bens e Serviços recuaram 6,1% no terceiro trimestre de 2023. Dentre as exportações, aquelas que registraram melhores resultados foram agropecuária, extrativa mineral, derivados do petróleo, produtos alimentícios e serviços. Na pauta de importações, as quedas mais relevantes ocorreram em máquinas e equipamentos, produtos químicos, derivados de petróleo e produtos farmacêuticos.

PIB acumula crescimento de 3,2% até setembro

No acumulado do ano até o terceiro trimestre de 2023, o PIB cresceu 3,2% em relação a igual período de 2022. Nessa comparação, a Agropecuária (18,1%), a Indústria (1,2%) e os Serviços (2,6%) ficaram no campo positivo.

As atividades da Indústria com resultado positivo ao longo do ano foram as Indústrias extrativas (7,9%) e Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (5,8%). Já as Indústrias de transformação (-1,6%) e a Construção (-0,9%) caíram nessa comparação.

Nos Serviços, houve alta em: Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (7,0%), Informação e comunicação (3,8%), Transporte, armazenagem e correio (3,5%), Atividades imobiliárias (3,1%), Outras atividades de serviços (2,9%), Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade (0,9%) e Comércio (0,9%).

PIB cresce 3,1% no acumulado em quatro trimestres

O PIB acumulado nos quatro trimestres terminados em setembro de 2023 cresceu 3,1% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Essa taxa resultou do avanço no Valor Adicionado a preços básicos (3,1%) e nos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios (2,5%). O resultado do Valor Adicionado nessa comparação decorreu dos seguintes desempenhos: Agropecuária (14,4%), Indústria (2,0%) e Serviços (2,8%).

Na análise da demanda, a Despesa de Consumo das Famílias cresceu 3,7% e a Despesa de Consumo do Governo, 1,0%. Por outro lado, a Formação Bruta de Capital Fixo recuou 1,1%. No âmbito do setor externo, tanto as Exportações de Bens e Serviços avançaram 10,3% e as Importações de Bens e Serviços variaram -0,1%.

PIB totaliza R$2,7 trilhões no terceiro trimestre

O Produto Interno Bruto no terceiro trimestre de 2023 totalizou R$ 2,741 trilhões, sendo
R$ 2,387 trilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 353,8 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Taxa de Investimento foi de 16,6% no 3º trimestre

A taxa de investimento no terceiro trimestre de 2023 foi de 16,6%, o que representa uma queda em relação à do mesmo período do ano anterior (18,3%). A taxa de poupança foi de 15,7% no terceiro trimestre de 2023, menor que os 16,3% obtidos no mesmo período de 2022.

Revisão das séries trimestrais

As Contas Nacionais Trimestrais têm a rotina de, na divulgação do terceiro trimestre de cada ano, realizar uma revisão mais abrangente que incorpora os novos pesos das Contas Nacionais Anuais de dois anos antes. Aproveita-se este momento para introduzir, nas séries trimestrais, atualizações nas séries de dados adotadas e, se for o caso, aperfeiçoamentos metodológicos.

Com a divulgação dos resultados anuais definitivos para o ano de 2021 da série do Sistema de Contas Nacionais – referência 2010, as séries das Contas Nacionais Trimestrais são agora revisadas em todos os trimestres do ano de 2022, além dos dois primeiros trimestres de 2023.

Nesta divulgação, os principais pontos revistos são destacados nas tabelas a seguir:

 PIB tabela1
A Tabela I.1 mostra a revisão, para o ano de 2022, das taxas de crescimento do PIB e seus principais componentes pelas óticas da oferta e da demanda.

 PIB tabela2
A Tabela I.2 mostra a revisão, para o primeiro e segundo trimestres de 2023, das taxas de crescimento do PIB e seus principais componentes pelas óticas da oferta e da demanda.

Link da matéria

O que você achou?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

0 0 votes
Article Rating
Se inscreva
Notificação de
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
0
Iremos adorar sua opinião, comente.x