Amazônia Legal terá recursos para projetos de bioeconomia

Amazônia Legal terá recursos para projetos de bioeconomia

Iniciativas de bioeconomia e infraestrutura sustentável na Amazônia Legal devem lucrar investimentos de US$ 250 milhões nos próximos meses. 

O valia será talhado a uma risca de confiança para projetos de investimentos. O proclamação foi completado nesta quinta-feira (21) velo Banco do Brasil (BB), em parceria com o Banco Interamericano de Incremento (BID), e adição forças ao Deslocação Impacto Amazônia, firmado durante o Conformidade Global da ONU no Brasil, em Novidade York, na última semana.

A inciativa pretende fomentar prolongamento na província amazônica por via de arrimo a bioempresas e a produtores rurais locais. Outros objetivos são financiar projetos de criação de virilidade a fugir de fontes renováveis e investir na melhoria da conectividade em áreas urbanas, rurais e florestais da Amazônia Legal, com prioridade para localidades isoladas.

O projeto está desempenado aos 12 compromissos de Sustentabilidade do BB e ao coluna de bioeconomia da Amazônia Continuamente, programa do BID para o prolongamento sustentável da província.

O vice-presidente de Administração e Sustentabilidade Empresarial do Banco do Brasil, José Ricardo Sasseron, destacou outras ações sustentáveis da fundação, inclusive em áreas degradadas da Amazônia. “A nossa meta para preservação e reflorestamento da floresta é de 1 milhão de hectares até 2025. Isso corresponde a um terço do território da Bélgica, por exemplo, só para termos uma referência”.

Sasseron lembrou que antes desses acordos, o Banco do Brasil ja investia em torno de R$ 136 bilhões na superfície da Amazônia Legal, ali de dar créditos para manufactura e extração de cacau, castanha do Pará, açaí que, segundo ele, “são produtos que preservam a floresta e, ao mesmo tempo, proporcionam uma atividade econômica para a população que vive do extrativismo”.

Amazônia na Times Square

Durante cinco minutos, a Times Square, superfície localizada no meio de Novidade York, foi captura pela Amazônia. Ao som da grito do rapper nativo Guarani MbYá, Orewa, todas as cores, opulência, fauna, flora e agricultura do poviléu da mata passaram defronte dos olhos de centenas de pessoas de todos os cantos do astro.

Cacique Raoni assiste dominação dos telões da Times Square em campanha All Amazonia do BB. Foto: Beptuk Hokrit Metuktire/Instituto Raoni

Cacique Raoni na Times Square, em Novidade York, em campanha All Amazonia, do BB – Foto Beptuk Hokrit Metuktire/Instituto Raoni

O espetáculo é quinhão da campanha “Somos All Amazônia”, do Banco do Brasil. Apreciado o banco mais sustentável do orbe pela quarta turno, a fundação dedicou a semana a agendas de fainas focadas no prolongamento sustentável, na recobro e eservação ambiental do Brasil.

Entre os compromissos assumidos velo BB estão o incitação à cultura sustentável e o reforço a práticas que promovam a recobro de pastagens e áreas degradadas, ali de certificar o desmatamento clandestino cifra em contratos de financiamento na fundação.

 * A noticiarista viajou a invitação do Banco do Brasil.

[ad_1]

Com informações daAgência Brasil

[ad_2]